Sabor De Minas

Dicas | Recomendações | Comentários

Qual A Temperatura Normal De Um Beb?

Qual A Temperatura Normal De Um Beb

Qual a temperatura já é considerado febre em bebê?

2 minutos para ler Febre é a elevação da temperatura corporal acima do considerado “normal”, que varia aproximadamente entre 36,5ºC e 37,5ºC. Assim, consideramos a febre quando a temperatura está acima de 37,5ºC. Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo! A febre é um sinal de alerta de que existe algo errado com a criança e, geralmente, é ocasionada por uma infecção viral ou bacteriana, mas em casos mais raros, pode ser secundária a outras doenças.

Qual é a temperatura ideal para um bebê?

O que é febre? – A febre é uma elevação na temperatura corporal, que indica possíveis inflamações no organismo. Isto é, ela representa uma reação de que alguma coisa no corpo está merecendo a nossa atenção. O temperatura normal do corpo costuma variar entre 36º C e 36,7º C.

No caso dos nenéns que ainda estão amamentando, é comum que sejam mais “quentinhos” e apresentem uma variação entre 36,5ºC e 37,2ºC, pela tarde. Mas para considerarmos um quadro de febre, essa escala precisa alcançar 37,8°C ou mais. Isso deve ser observado com o uso do termômetro. No caso dos bebês, existem vários tipos de termômetros, inclusive eletrônicos, que facilitam a aferição, tanto por parte dos pais quanto do pediatra.

Ou, então, a aferição pelo reto ou ouvido podem ser alternativas viáveis.

Como saber se o bebê está com febre?

3. Sensação de calor e pele rosada – Quando o seu filho tem febre, a testa, as costas ou o estômago podem emitir uma sensação de calor. Para uma leitura precisa da temperatura do seu bebé, deve utilizar um termómetro. Se o seu bebé tiver uma temperatura elevada, mantenha-o confortável e hidratado com água, sumo liquído, leitel, ou o que quer que ele habitualmente beba.

Qual temperatura e baixa para bebê?

O que é hipotermia? – Embora a gente saiba que a febre começa depois dos 37ºC, o que exatamente classifica a hipotermia, ou seja, a baixa temperatura corporal? “A hipotermia é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como temperatura corporal abaixo de 36,5°C”, responde a pediatra. Existem três tipos de hipotermia:

leve, quando a temperatura está entre 36 e 36,4ºC; moderada, quando ela pode cair até 32ºC; grave, quando fica menor do que essa temperatura.

Resumindo: não é normal a temperatura de 35ºC em bebês.

Quando é febril e quando é febre?

37 é febre? – A temperatura normal do nosso corpo varia entre 36 e 37 graus. Geralmente, ela é mais baixa pela manhã e mais alta no fim da tarde ou à noite. Por isso, alterações de até um grau são aceitáveis em condições normais. Nas mulheres, por exemplo, ocorre um aumento da temperatura após a ovulação, e também no primeiro trimestre da gravidez.

  • Normal : entre 36,0º C e 37,0 º C
  • Estado febril : entre 37,3º C e 37,8º C
  • Febre : acima 37,8º C
  • Febre alta : entre 39º e 39,9º C
  • Hipertermia : a partir de 40º C

Qual A Temperatura Normal De Um Beb Fonte: Envato – Rawpixel

Qual a temperatura normal por idade?

Medindo a Temperatura – Seu filho não dorme a Noite? Agende Hoje mesmo uma Consulta com Neuropediatra. O principal instrumento utilizado para aferir a temperatura são os termômetros, sendo que os três tipos mais comuns e eficazes são os:

de mercúrio: a sua ponta metálica é posicionada diretamente na axila e em cerca de três minutos o resultado aparece;digital: geralmente é manejado por enfermeiros e a medição é feita ao aproximar o aparelho da testa ou ao colocar dentro do ouvido do paciente e logo após o “bip”, a marcação é apontada;com ponta mole: é posicionado no ânus da pessoa e depois de três minutos, a temperatura já pode ser consultada.

Dependendo da temperatura corporal ou anal, pode-se dizer que a criança tem algum dos quadros abaixo:

Hipotermia – A hipotermia é quando ocorre a queda da temperatura corporal. Nos bebês, ela é indicada por uma medição abaixo de 35,5º C, enquanto que as crianças com mais de um ano de idade, atingem uma marca inferior a 35,4º C. Normal – Em uma situação normal, as temperaturas centrais do corpo podem variar entre 36º C e 37º C (bebês), e de 35,4º a 37,2º C (crianças). Estado Febril – O estado febril é marcado por variações entre 37,1º C e 37,5º C (bebês), e entre 37,4º C e 38,9º C (crianças). Febre – Na febre, a temperatura anal é de, aproximadamente, 37,8° C nos bebês e a corporal varia de 38,1º C a 38,9º C nas crianças com mais de um ano. Febre Alta – Nas crianças, a febre alta é sinal de infecção grave e a temperatura pode ir de 39° C a 39,9º C. Hipertemia – Assim como a febre alta, a hipertemia também é o indício de quadros infecciosos graves. E é marcada por temperaturas acima de 38º C, nos bebês e de 40º C nas crianças com mais de 01 ano de idade.

O que fazer quando o bebê está com 35 graus?

Quais os tratamentos para hipotermia infantil? – Para cada nível de hipotermia, um tipo de tratamento é mais indicado: Leve

Deve-se remover as roupas frias ou molhadas e substituí-las por outras quentes. Cubra bem o bebê e mantenha o quarto e a cama aquecidos. O contato pele a pele com a mãe ajuda na transmissão de calor. Amamente-o. Monitore a temperatura axilar a cada meia hora até atingir 36,50 C. Após isso, mantenha o monitoramento a cada hora, por quatro horas.

Moderado: Além dos procedimentos acima, aplique toalhas quentes, opte por lâmpadas 200w, use aquecedor. Se a temperatura não subir, leve o bebê ao médico. Grave: Forneça calor extra imediatamente e leve-o ao médico. Poderá ser necessário colocá-lo em uma incubadora aquecida a ar e fazer uso de antibióticos.

O que pode ser quando o bebê está com a cabeça quente?

Suor na cabeça do bebê é normal. Quem garante é a pediatra e consultora do Bem Estar Ana Escobar. Segundo ela, os bebês suam mais na cabeça por dois motivos: a cabeça tem a superfície maior em relação ao corpo (se comparado ao adulto) e a cabeça é uma região muito vascularizada. Qual A Temperatura Normal De Um Beb Por que os bebês suam tanto na cabeça? O Bem Estar também falou sobre brotoejas em bebês. A brotoeja é uma dermatite inflamatória causada pela obstrução mecânica do suor. Em geral, elas surgem no tronco, pescoço, axilas e dobras de pele. Coceira e queimação são os principais sinais da brotoeja. Se elas aparecerem no seu bebê veja o que fazer:

Não coce. Isso favorece o rompimento das bolhas e o aparecimento de pequenas lesões e crostasDê banho no bebê com amido de milho. Coloque uma colher de sopa de amido de milho em dois litros de água e, se preferir, use talco líquidoUse roupas de algodão que absorvem melhor o suor e evite tecidos sintéticos

See also:  Qual O Nome Do DomíNio No Brasil?

Qual A Temperatura Normal De Um Beb Contato com sujeira ajuda corpo do bebê a se defender

Porque só a testa do bebê fica quente?

Se a testa e a barriga da criança estiverem quentes, ela está com febre. – Mito A testa, as mãos ou qualquer parte do corpo mais quente não indica febre. O ideal é usar um termômetro na axila para medir a temperatura da criança.

Pode deixar o bebê dormir com febre?

Bebê com febre pode dormir? – Sim, pode. Não há problemas em deixar o bebê com febre dormir, pois é natural que se sinta cansado e indisposto, Apenas lembre-se de monitorar a febre e, se necessário, dar banho ou aplicar compressas frias. Também é importante acordar a criança caso ela precise ser medicada. Qual A Temperatura Normal De Um Beb

O que fazer quando o bebê está com 34 graus?

Cuidados e tratamento – Em casos de hipotermia leve, com a manifestação apenas de tremores de frio, a recomendação é agasalhar e ingerir alimentos quentes, como sopa ou chá. Porém, se a temperatura não começar a se elevar e o paciente piorar, apresentando confusão mental, por exemplo, a orientação é buscar atendimento médico imediatamente.

  • Quando está prevista a exposição à ambientes de frio extremo, por exemplo, em acampamento nas montanhas, é possível prevenir a queda da temperatura corporal.
  • Para isso, é necessário agasalhar-se adequadamente e se houver contato com a água gelada, é necessário tirar a roupa úmida ou molhada, enrolar-se em cobertor e abraçar uma pessoa que esteja com a temperatura normal, já que contato físico também aquece.

Bebidas alcoólicas são altamente contraindicadas. O objetivo dos primeiros cuidados é contar com fonte externa de calor para se reaquecer. Texto: Karina Fusco | Edição: Ana Carolina Giarrante e Michel Vita | Design: Alex Mendes Fonte: Hospital Infantil Sabará, Sociedade Brasileira de Pediatria, Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Jornal de Pediatria e Mayo Clinic Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.

O que fazer quando a temperatura do bebê está 34 graus?

Hipotermia: “Meu filho está com 34º, suado e gelado, estou em pânico” Qual A Temperatura Normal De Um Beb Quais são os riscos da hipotermia? (Foto: Thinkstock) O terror das mães, geralmente, é a, Basta o indicador do começar a subir para já dar um banho morninho ou administrar um antitérmico. Mas e quando o que acontece é totalmente o oposto? Você saberia o que fazer? A pedagoga Carolina Camillo, 32, levou um susto na última madrugada quando o filho Martín, de 1 ano e 10 meses, ficou completamente gelado! Ela conta que o pequeno vinha com um quadro de febre há cerca de três dias.

  1. Sempre com 38°C, às vezes 38,5°C.
  2. Ontem à noite, percebi que ele estava esquentando.
  3. Quando medi a febre, ele estava com 38,3°C e não pensei duas vezes, fui prontamente pegar o, conforme orientação médica, e fiquei aguardando.
  4. Cerca de três horas depois, acordei com ele gelado e suado.
  5. Peito, pescoço e braço, principalmente.

Quando medi, deu 34°C”, diz. A mãe diz que pediu ajuda em um grupo de mães nas redes sociais. “Meu filho está com 34ºC, suado e gelado, estou em pânico. O que eu faço?”, escreveu Carolina. Conforme foi recebendo orientações, ela foi testando. “Agasalhei, dei leite quente e nada de subir.

  1. Quanto mais ele suava mais esfriava.
  2. Até que coloquei uma touca quente na cabecinha dele e fiz uma bandana com uma mantinha fina por todo o corpo.
  3. Foram seis longas horas até, de fato, ele voltar a temperatura normal, de 36°C”, lembra.
  4. Não levei ele ao pronto socorro, acho que foi um risco e não sei se arriscaria novamente.

Foi a pior madrugada da minha vida”, lamenta. O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE HIPOTERMIA Segundo o pediatra e neonatologista Nelson Douglas Ejzenbaum, da Sociedade Brasileira de Pediatria e Academia Americana de Pediatria, a temperatura normal do corpo de uma criança varia de 36 a 37,7°C.

Temperaturas de 35°C ou menos, A mais frequente é a leve, com temperaturas entre 33°C e 35°C. Abaixo disso, ainda tem a moderada e grave”, explica. As causas são variadas. “Pode acontecer ou ainda reação a algum componente de medicamentos como antinflamatórios, analgésicos e até, Também é comum quando a pessoa é colocada em temperaturas extremas”, diz.

Diante dessa situação, o especialista explica que o corpo reage tentando aumentar a temperatura corpórea. “É comum que a pessoa apresentar tremor, contração, movimentação, aumento da frequencia cardíaca, sudorese, alteração de comportamento, choro e até confusão mental.

  1. Tudo na tentativa de tentar poupar energia de outros lugares”, completa.
  2. O QUE FAZER? A recomendação, segundo o pediatra, é aquecer o corpo da criança.
  3. Agasalhe bem, seja com cobertor ou casaco.
  4. Oferecer bebidas mornas, como chá ou leite, também ajuda.
  5. Essas medidas costumam resolver, na maioria dos casos”, explica.

“Não costumo prescrever banhos, pois a mudança de temperatura pode piorar a situação”, alerta. Segundo o médico, depois disso, os, “Se em uma, no máximo duas horas, a temperatura não se elevar, leve a criança ao Pronto Socorro. A temperatura não precisa subir rapidamente, mas tem que apresentar elevação.

Seis horas é muito tempo”, alertou. “A hipotermia é perigosa. Deixar a criança muito tempo nessa condição pode levar a, parada cardíaca e até a morte”, finaliza. CURIOSIDADE A hipotermia não é de todo ruim! Em alguns casos, ela pode até salvar a vida de uma criança. Quando um bebê nasce com anoxia neonatal – que é a ausência de oxigênio nas células do recém-nascido -, os médicos realizam uma hipotermia induzida, sob condições controladas.

Nesse caso, é possível poupar o cérebro, impedindo lesões cerebrais e dificultando convulsões. É um procedimento bastante frequente em UTIs. saiba mais Como saber se o bebê está com frio? Por que meu bebê está com a temperatura tão baixa? : Hipotermia: “Meu filho está com 34º, suado e gelado, estou em pânico”

É normal o bebê ficar gelado?

Os pequenos ainda estão em fase de desenvolvimento e, por isso, não conseguem regular a temperatura corporal como os adultos. Esse fato explica por que o recém-nascido sente muito frio em relação aos bebês mais crescidos.

Qual a temperatura para dar convulsão?

Recursos do assunto Convulsões febris são convulsões desencadeadas por uma febre de, pelo menos, 38 ºC.

See also:  Qual O Planeta Mais PróXimo Do Sol?

A maioria das convulsões febris são inofensivas e causadas por febre devido a uma infecção leve. Menos frequentemente, uma convulsão febril pode ser o primeiro sinal de um distúrbio neurológico ainda não reconhecido. Os médicos às vezes fazem exames de sangue e uma punção lombar para verificar a presença de distúrbios sérios capazes de causar convulsões. Em geral, as crianças só precisam receber medicamentos para interromper a convulsão se ela durar cinco minutos ou mais. A maioria das crianças não precisa tomar medicamentos para prevenir convulsões febris.

Uma convulsão é uma descarga elétrica anormal e desregulada de células nervosas no cérebro ou em parte do cérebro. Esta descarga elétrica anormal pode causar

Convulsões Movimentos involuntários Alterações na consciência Sensações anormais

Convulsões são espasmos musculares violentos e involuntários associados a rigidez em uma grande parte do corpo. As convulsões febris podem ser um problema de família. Foram identificados vários genes associados a convulsões febris. A maioria das convulsões febris dura muito menos que 15 minutos e aproximadamente dois terços das crianças que têm uma convulsão febril nunca têm outra.

Simples: o corpo inteiro sacode (convulsão generalizada) por menos de 15 minutos e a criança geralmente perde a consciência. Mais de 90% das convulsões febris são simples. Este tipo de convulsão febril não ocorre mais do que uma vez em um período de 24 horas.

Após a convulsão febril, as crianças costumam parecer confusas ou não si mesmas por alguns minutos. O período de confusão (período pós‑ictal), por vezes, pode durar até algumas horas. Estado de mal epiléptico se refere a uma única convulsão prolongada ou várias convulsões mais curtas que ocorrem sem que a criança recupere a consciência entre as crises.

Avaliação médica Às vezes, uma punção lombar, exames de sangue ou exames de imagem do cérebro

Uma vez que os pais não têm como dizer se a criança está apresentando uma infecção cerebral, que ameaça a sua vida, a criança com febre que tenha uma convulsão pela primeira vez ou que esteja muito debilitada deve ser levada imediatamente ao pronto-socorro para avaliação.

Exames de sangue para medir a concentração de açúcar (glicose), cálcio, magnésio, sódio ou outras substâncias no sangue para verificar a presença de distúrbios metabólicos Culturas de sangue e urina para verificar a presença de infecções

Medicamentos para reduzir a febre Medicamentos para interromper a convulsão se ela durar 5 minutos ou mais

Em geral, as convulsões febris duram menos de 5 minutos e nenhum tratamento é administrado além de medicamentos para reduzir a febre. Os médicos geralmente dão medicamentos para parar uma convulsão febril que dure cinco minutos ou mais para prevenir um estado de mal epiléptico.

  1. Os medicamentos incluem sedativos e anticonvulsivantes.
  2. Esses medicamentos costumam ser administrados pela veia (via intravenosa).
  3. Se um medicamento não puder ser administrado por via intravenosa e a criança tiver mais de dois anos de idade, um gel sedativo pode ser colocado no reto ou um líquido sedativo pode ser colocado no nariz (via intranasal).

As crianças que receberam estes medicamentos ou que apresentem uma convulsão prolongada ou estado de mal epilético são cuidadosamente monitoradas para detectar problemas com a respiração e a pressão arterial. Aproximadamente 35% das crianças apresenta outras convulsões febris, mas normalmente apenas poucas convulsões.

  • As crianças têm mais propensão a terem outras convulsões se elas tinham menos de um ano de idade quando tiveram a convulsão febril pela primeira vez ou se elas têm parentes próximos que tiveram convulsões febris.
  • Em algumas crianças, ter uma convulsão febril muito prolongada resulta em alterações no cérebro (identificadas por RM), que dão origem a convulsões não febris no futuro.

Em alguns casos, os médicos não têm certeza se a própria convulsão febril prolongada causa a maior propensão às convulsões não febris ou se alguns fatores subjacentes fazem com que a criança seja mais propensa a ter tanto a convulsão febril prolongada como convulsões não febris no futuro.

  • Convulsões febris simples não são consideradas causas de epilepsia ou outras anomalias neurológicas.
  • Contudo, uma convulsão febril é, às vezes, o primeiro sinal de um distúrbio neurológico ou transtorno convulsivo não reconhecido previamente.
  • Algumas vezes, os médicos podem examinar esse histórico e ver os indícios desse distúrbio nos antecedentes da criança.

Algumas vezes, outros indícios do distúrbio não aparecem até mais tarde. Em qualquer dos casos, a convulsão febril não é considerada a causa de anomalias. Se a criança já teve uma convulsão febril, os pais devem ficar atentos e tratar febre alta, que pode desencadear uma convulsão.

Um forte histórico familiar de epilepsia e convulsões febris simples recorrentes ou complexas Estado epiléptico febril Mais de 4 convulsões febris por ano

Se uma criança que já teve uma convulsão febril prolongada tiver uma convulsão posterior que dura mais de cinco minutos, o médico poderá prescrever diazepam gel para ser aplicado no reto. A criança pode ser tratada com esse medicamento em casa. OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Quando devo me preocupar com a febre do meu filho?

A febre é um sintoma comum em crianças e geralmente indica que o corpo está combatendo uma infecção. É importante que os pais saibam reconhecer os sinais de alerta e saibam quando devem se preocupar com a febre em seus filhos. Embora a febre em si não seja motivo para pânico, existem algumas circunstâncias em que é recomendado procurar atendimento médico para garantir o bem-estar da criança.

Temperatura alta persistente: se a febre persistir por mais de três dias, mesmo com o uso de medicamentos antitérmicos, é importante procurar orientação médica. A persistência da febre pode ser um sinal de uma infecção mais grave que requer investigação e tratamento adequados. Sintomas graves acompanhados de febre: se a criança apresentar uma febre alta (acima de 39,5°C) juntamente com sintomas graves, como convulsões, dificuldade respiratória, letargia extrema, irritabilidade intensa, rigidez no pescoço ou manchas vermelhas na pele, é essencial procurar atendimento médico imediato. Esses sintomas podem indicar uma condição médica mais séria que precisa ser avaliada e tratada prontamente. Idade do bebê: bebês com menos de três meses de idade têm um sistema imunológico ainda em desenvolvimento e são mais suscetíveis a infecções graves. Portanto, qualquer temperatura igual ou superior a 38°C em um bebê tão novo deve ser avaliada por um médico para descartar a possibilidade de uma infecção grave. Mudanças bruscas de comportamento: se a criança apresentar mudanças repentinas de comportamento, como sonolência excessiva, recusa em se alimentar, choro inconsolável ou extremo mau humor, é importante procurar orientação médica. Essas mudanças de comportamento podem indicar uma infecção ou condição subjacente que requer atenção médica.

See also:  Qual A SequêNcia Do Senhor Dos AnéIs?

Embora essas sejam situações em que os pais devem ficar atentos e procurar assistência médica, é importante lembrar que cada criança é única e os pais conhecem melhor o seu filho. Se houver preocupações adicionais sobre a febre ou a saúde da criança, é sempre aconselhável entrar em contato com um médico para obter orientações personalizadas.

Quando a febre deve ser preocupante?

Febre alta: quando eu devo procurar um médico? – Como a febre em si não é uma doença para ser combatida, é fundamental observar outros sintomas paralelos como forma de diagnosticar o que está acontecendo e, se necessário, agendar uma consulta. Três características principais são determinantes para buscar auxílio:

Se a febre estiver acima dos 39,4°C; Se o quadro de febre persistir por mais de 48 horas; Se a febre vier acompanhada de sintomas como forte dor de cabeça, inchaço na garganta, confusão mental, fraqueza muscular, frequência cardíaca rápida ou pressão sanguínea baixa.

Em qualquer um desses casos, a recomendação é que você procure o médico o mais rápido possível. Amenizar os sintomas da febre não significa resolver o problema, pois como já mencionamos ela é apenas um sintoma originada por diversas outras causas.

Como saber se a criança está com hipotermia?

Sintomas da hipotermia – A hipotermia pode desencadear sintomas como tremores, pele fria, dificuldade para respirar e redução da velocidade dos batimentos cardíacos. Além disso, o paciente pode ter confusão mental, fala lenta e confusa, sonolência e fraqueza.

  1. Em situações de exposição ao frio, por exemplo, inicialmente o indivíduo apresenta arrepios e a pele fica mais fria, como resultado da vasoconstrição cutânea, a qual é responsável pela redução da perda de calor.
  2. A pessoa então começa a apresentar tremores, que são uma forma de o corpo conseguir produzir calor e garantir seu funcionamento.

Entretanto, com a exposição prolongada, os tremores vão diminuindo e o sistema termorregulador do corpo vai entrando em colapso. As funções vitais vão se alterando e, na hipotermia grave, batimentos cardíacos e a frequência respiratória ficam quase imperceptíveis.

Quando devo me preocupar com a febre do meu filho?

A febre é um sintoma comum em crianças e geralmente indica que o corpo está combatendo uma infecção. É importante que os pais saibam reconhecer os sinais de alerta e saibam quando devem se preocupar com a febre em seus filhos. Embora a febre em si não seja motivo para pânico, existem algumas circunstâncias em que é recomendado procurar atendimento médico para garantir o bem-estar da criança.

Temperatura alta persistente: se a febre persistir por mais de três dias, mesmo com o uso de medicamentos antitérmicos, é importante procurar orientação médica. A persistência da febre pode ser um sinal de uma infecção mais grave que requer investigação e tratamento adequados. Sintomas graves acompanhados de febre: se a criança apresentar uma febre alta (acima de 39,5°C) juntamente com sintomas graves, como convulsões, dificuldade respiratória, letargia extrema, irritabilidade intensa, rigidez no pescoço ou manchas vermelhas na pele, é essencial procurar atendimento médico imediato. Esses sintomas podem indicar uma condição médica mais séria que precisa ser avaliada e tratada prontamente. Idade do bebê: bebês com menos de três meses de idade têm um sistema imunológico ainda em desenvolvimento e são mais suscetíveis a infecções graves. Portanto, qualquer temperatura igual ou superior a 38°C em um bebê tão novo deve ser avaliada por um médico para descartar a possibilidade de uma infecção grave. Mudanças bruscas de comportamento: se a criança apresentar mudanças repentinas de comportamento, como sonolência excessiva, recusa em se alimentar, choro inconsolável ou extremo mau humor, é importante procurar orientação médica. Essas mudanças de comportamento podem indicar uma infecção ou condição subjacente que requer atenção médica.

Embora essas sejam situações em que os pais devem ficar atentos e procurar assistência médica, é importante lembrar que cada criança é única e os pais conhecem melhor o seu filho. Se houver preocupações adicionais sobre a febre ou a saúde da criança, é sempre aconselhável entrar em contato com um médico para obter orientações personalizadas.

Quando a febre deve ser preocupante?

Febre alta: quando eu devo procurar um médico? – Como a febre em si não é uma doença para ser combatida, é fundamental observar outros sintomas paralelos como forma de diagnosticar o que está acontecendo e, se necessário, agendar uma consulta. Três características principais são determinantes para buscar auxílio:

Se a febre estiver acima dos 39,4°C; Se o quadro de febre persistir por mais de 48 horas; Se a febre vier acompanhada de sintomas como forte dor de cabeça, inchaço na garganta, confusão mental, fraqueza muscular, frequência cardíaca rápida ou pressão sanguínea baixa.

Em qualquer um desses casos, a recomendação é que você procure o médico o mais rápido possível. Amenizar os sintomas da febre não significa resolver o problema, pois como já mencionamos ela é apenas um sintoma originada por diversas outras causas.

Como é a febre dos dentes?

Início da dentição causa febre: mito ou realidade? – A febre como efeito do nascimento da primeira dentição ainda não é um consenso entre pediatras 1, Isso porque, em muitas pesquisas, mães relataram que a temperatura de seus filhos aumentava levemente quando os primeiros dentes – geralmente os incisivos de baixo – começavam a nascer 3,

Entretanto, essa temperatura geralmente ficava em torno de 37ºC a 37,5 °C, o que não é considerado tecnicamente como febre. Por isso, mesmo que exista a sensação de que o bebê fique “quentinho”, é importante lembrar que não existe comprovação de que a febre configure realmente um sintoma da primeira dentição.

MAT-BR-2000451