Sabor De Minas

Dicas | Recomendações | Comentários

Qual O Melhor Anticoncepcional InjetVel?

Qual o anticoncepcional injetável mais seguro?

Anticoncepcionais hormonais – Utilizando, assim como na pílula, a administração de dosagens hormonais específicas, existem outros métodos capazes de interferir na ovulação e/ou fecundação e que também têm alta confiabilidade. Os três principais são a injeção contraceptiva, com índice de falha 0,1%, o SIU – Sistema intrauterino liberador de levonorgestrel (DIU hormonal), que também tem níveis mínimos de falha (cerca de 0,1%) e o implante hormonal, que hoje em dia é considerado o método mais eficaz, com índice de falha de apenas 0,05%.

Como escolher o melhor anticoncepcional injetável?

Como escolher o anticoncepcional correto? – A escolha do melhor anticoncepcional deve ser feita entre a paciente e seu médico ginecologista. Além de uma análise de indicadores de estilo de vida e do histórico familiar de doenças, pode ser necessário realizar alguns exames laboratoriais para entender melhor o funcionamento do corpo da mulher.

Quais os anticoncepcionais injetáveis mais usados?

Não contêm estrógeno e, por isso, podem ser usados durante toda a amamenta- ção e por mulheres que não podem utilizar métodos com estrógeno. AMPD, o mais amplamente empregado injetável só de progestógeno, também é conhecido como ‘a injeção’, Depo, Depo-Provera, Megestron e Petogen.

Qual a melhor injeção trimestral ou mensal?

O contraceptivo injetável trimestral é indicado para as mulheres que não podem ou não desejam receber estrogênio, pois são compostos apenas de progestágeno. A injeção anticoncepcional também pode causar dor de cabeça, acne, alterações do humor, redução da densidade mineral óssea, vertigens e aumento de peso.

  • Entretanto, possui efeitos benéficos, como alívio das cólicas menstruais e melhora da anemia, redução dos sintomas associados à endometriose, à dor pélvica crônica e redução do câncer de endométrio.
  • É um método contraceptivo muito eficaz, com apenas 0,1% a 0,6% de falha para a injeção mensal e de 0,3%, para a injeção trimestral, o que é equivalente à eficácia da ligadura de trompas.

O uso desse método deve ser recomendado pelo médico ginecologista e a sua aplicação deverá ser realizada em farmácia com receita. Fonte: Dr. Sérgio dos Passos Ramos CRM17.178 – SP

Qual é a injeção que não engorda?

Anticoncepcional engorda? – Blog | Dra. Doriana Garcia – Ginecologia, Obstetrícia e Estética Essa é uma preocupação comum da mulher. Não existe comprovação científica de que a pílula anticoncepcional possa engordar, mas está comprovado que a pílula favorece a retenção de líquidos e isto pode levar sim a um aumento discreto do peso e sensação de inchaço.

Apesar das pílulas anticoncepcionais não provocarem um aumento do peso, elas podem causar acúmulo de líquidos e, essa retenção pode se manifestar na balança, fazendo com que a mulher sinta que engordou.Esse efeito colateral dos anticoncepcionais pode ser observado em algumas mulheres e, normalmente, a eliminação dos líquidos retidos pode ser facilitada com atividade física regular e sem haver ganho de gordura.A injeção trimestral é o único anticoncepcional com relato científico de ganho de peso.A possibilidade desse efeito colateral pode ser maior nos anticoncepcionais com dosagem hormonal elevada e raramente ocorre nas pílulas de baixa dosagem

Geralmente, o efeito benéfico contraceptivo sobre passa o efeito colateral do aumento do peso. E isso deve ser ponderado no momento da escolha do anticoncepcional. Antes de começar um novo tipo de anticoncepcional é recomendado procurar o/a médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para indicação do melhor método contraceptivo para você.

Qual o anticoncepcional injetável mais fraco?

Devido às pequenas concentrações de ambos os hormônios, CYCLOFEMINA® é considerado um anticoncepcional de baixa dosagem hormonal.

Qual o anticoncepcional que faz menos mal à saúde?

Anticoncepcional com menos risco de trombose: minipílula – Mulheres que apresentam fatores de risco para trombose e não querem partir para outros métodos contraceptivos podem apostar em pílulas simples. Também chamadas de minipílulas, elas contém apenas o hormônio progesterona, que costuma surgir na forma de desogestrel, linestrenol ou noretisterona.

Cerazette Norestin Juliet Exluton

Data: 21/02/2018 Fonte: VIX

Qual anticoncepcional não tira a vontade de ter relação?

2.7 Anticoncepcionais e Libido | Ginecologia A libido é uma energia de vida e sexual. Para que estejamos com nossa libido em harmonia precisamos também que muitas outras partes na nossa vida também estejam harmonizadas. Não quer dizer que a vida tenha que estar perfeita, ou seja sem problemas ou dificuldades.

​ ​ Mas, quando houver dificuldades estas estejam relativamente sob controle, pois os problemas na libido podem ser multifatoriais tais como: depressão, ansiedade, estresse, problemas conjugais, dificuldades no trabalho, uso de medicações antidepressivas, a presença de doenças como hipertensã o e diabetes, problemas hormonais e o uso de anticoncepcional.

Sim, alguns anticoncepcionais podem reduzir a libido por alterar a parte hormonal e/ou interferir na lubrificação vaginal. Mas temos hoje algumas combinações de anticoncepcionais que por sua particularidade hormonal não altera a libido e podem ainda melhorá-la.

Nesses casos é prudente agendar uma consulta com seu ginecologista. Recomenda-se que este profissional tenha conhecimento na questão sexual para uma avaliação direcionada deste caso e, sendo necessária, sua troca. ​ ​ Há outros métodos contraceptivos que também não interferem na libido quando a causa é apenas o uso do anticoncepcional.

São os chamados métodos intrauterinos. Podemos citar o Diu de Cobre, Diu Mirena e o mais novo Kyleena. São métodos seguros do ponto de vista ginecológico e sexual. Com estas três possibilidades de diu podemos indicar o uso do diu mesmo em úteros pequenos que não cabiam o diu de cobre e o Mirena.

  1. O diu Kyleena é uma versão menor em relação aos demais e com menor dosagem hormonal que o Mirena.
  2. Estas características conferem ao Kyleena menores efeitos colaterais e a possibilidade de uso por mais mulheres, incluindo as adolescentes que nunca engravidaram.
  3. Desta forma, podemos dizer que a falta ou diminuição da libido é uma condição multifatorial que deve ser avaliada caso a caso.

Um ginecologista com conhecimento em sexualidade consegue avaliar e contribuir com orientações de como melhorar e até mesmo resgatar a energia vital e sexual. ​ ​ Portanto, busque ajud a sempre que precisar. Não sofra sozinha ou em silêncio, pois juntas podemos buscar uma solução!

​ Dra Karla Frota Ginecologia; Obstetrícia; Sexualidade; Laser e Peeling Íntimos CRM DF – 16765

: 2.7 Anticoncepcionais e Libido | Ginecologia

O que é melhor pílula ou injeção?

Anticoncepcional injetável (Injeção anticoncepcional) – A injeção anticoncepcional age de maneira semelhante às pílulas anticoncepcionais, tendo como principal mecanismo de ação o bloqueio da ovulação, Tem a facilidade de ter sua administração a cada 30 dias ou a cada 90 dias e o desconforto de ser uma injeção.

  1. Deve ser aplicada na região glútea e a área da injeção não deve ser massageada.
  2. Hoje, no Brasil, dispomos das seguintes injeções anticoncepcionais : Mensais: Mesigyna, Noregyna, Perlutan, Cyclofemina; Trimestrais: Depoprovera.
  3. A injeção anticoncepcional pode ser um combinado de estrogênio e progesterona (todas as mensais) ou ser só de progesterona (trimestral – depoprovera).

O estrogênio utilizado nos injetáveis mensais é natural e, portanto, mais fisiológico do que os utilizados nas pílulas anticoncepcionais combinadas contendo etinilestradiol. Assim, o tipo e intensidade dos efeitos colaterais nas injeções tendem a ser diferentes.

Qual é melhor Mesigyna ou Depo-provera?

Quais são as diferenças entre as injeções de ® e de Cyclofem ® ou Mesigyna ® ? – A maior diferença é que Cyclofem ® e Mesigyna ® contém estrogênio e progesterona enquanto que a Depo-Provera ® contém apenas progesterona. Você deverá aplicar 1 injeção a cada mês com Cyclofem ® e Mesigyna ®, e 1 injeção a cada 3 meses com Depo-Provera ®,

Entretanto, Cyclofem ® e Mesigyna ® causam menos irregularidades menstruais do que a Depo-Provera ®, Existem menos relatos de amenorreia (ausência de menstruação), sangramento eventual, sangramento irregular, e sangramento menstrual mais longos nas usuárias de Cyclofem ® e Mesigyna ® do que nas de Depo-Provera ®,

Além disso, a fertilidade (estar apta a engravidar) retorna mais rápido com Cyclofem ® e Mesigyna ® do que com Depo-Provera ®, Com a Depo-Provera ® há a possibilidade de diminuição de massa óssea, mas isso não é um problema com Cyclofem ® e Mesigyna ®,

Qual a vantagem do anticoncepcional injetável?

Vantagens e desvantagens da injeção anticoncepcional – A principal vantagem da injeção anticoncepcional é não precisar ser administrada diariamente, como é necessário com a pílula. Assim, o risco de a pessoa esquecer o anticoncepcional diminui e a segurança contra a gravidez aumenta.

Qual a desvantagem da injeção trimestral?

Injeção trimestral Uma desvantagem desse método é a volta à fertilidade que demora mais, uma vez que a liberação do hormônio progesterona é feita de forma lenta no organismo.

Quais são as desvantagens do anticoncepcional injetável?

Ainda que a pílula anticoncepcional seja eficaz para prevenir a gravidez, muitas mulheres simplesmente não se adaptam ao método ou não toleram seus efeitos colaterais. Hoje, existem alternativas que, além de serem igualmente eficazes, ainda trazem algumas vantagens.

Como, por exemplo, não precisar lembrar-se de tomar pílula diariamente. Por outro lado, os anticoncepcionais não-orais – como anel vaginal e adesivo – agem liberando hormônios, como a pílula, Por isso, eles não estão livres de alguns dos riscos conhecidos associados ao uso da pílula. Uma pesquisa concluiu que os métodos não orais têm um risco 2,5 vezes maior do que a pílula de causar trombose venosa, doença potencialmente grave causada pela formação de coágulos nas veias.

É importante que você discuta com seu ginecologista os possíveis riscos e benefícios de cada método anticoncepcional para avaliar qual é melhor para você. Um bom ponto de partida é conhecer mais sobre alguns deles: Anel vaginal É um objeto de plástico flexível e transparente colocado na vagina. Pontos positivos do anel vaginal

É fácil de colocar e tirar; Você só precisa trocá-lo uma vez por mês; A eficácia não é afetada se você vomitar ou tiver diarreia; Pode reduzir o risco de câncer de ovário e colo de útero.

Pontos negativos do anel vaginal

Algumas mulheres podem não se sentir confortáveis para inseri-lo e removê-lo; Você pode ter efeitos colaterais temporários no início, incluindo corrimento vaginal aumentado, sangramento, dores de cabeça, náuseas, sensibilidade mamária e mudanças de humor.

Adesivo contraceptivo É um pequeno adesivo que você gruda na pele e que libera hormônios que inibem a ovulação. Pontos positivos do adesivo contraceptivo

Você só precisa trocá-lo uma vez por semana; A eficácia não é afetada se você vomitar ou tiver diarreia; Menstruação mais regular e com menor fluxo; Menos sintomas pré-menstruais.

Pontos negativos do adesivo contraceptivo

Pode causar irritação na pele; Você pode ter efeitos colaterais nos primeiros meses, como dores de cabeça, náuseas, sensibilidade mamária, sangramento e mudanças de humor.

Anticoncepcional injetável São injeções que contêm o hormônio progestogênio. Protegem da gravidez de oito a 13 semanas, dependendo do tipo de injeção. Pontos positivos do anticoncepcional injetável

Você não precisa se preocupar com contracepção enquanto durar a injeção; Você pode usá-lo se estiver amamentando; Não é afetado por outros medicamentos; Pode diminuir o fluxo menstrual e os sintomas pré-menstruais; É uma opção para quem não pode receber estrogênios.

Pontos negativos do anticoncepcional injetável

Pode causar irregularidades em seu ciclo menstrual; Pode afetar o peso; Pode demorar um ano para que sua menstruação e fertilidade voltem após parar a injeção; Pode causar efeitos colaterais, como perda de cabelo, diminuição da libido, alterações de humor e dores de cabeça.

See also:  TZel KişI Ne Demek?

É verdade que a injeção de 3 meses engorda?

A injeção anticoncepcional é um método contraceptivo hormonal, ou seja, uma maneira de evitar a gravidez através de hormônios que são aplicados na paciente. Tem periodicidade mensal ou trimestral a depender da composição indicada pelo ginecologista. O anticoncepcional injetável é uma injeção com hormônios que têm a função de impedir o processo de ovulação na mulher.

Com isso, sem a liberação de óvulos, não ocorre a fecundação e, assim, é prevenida a gravidez, A ginecologista e obstetra Flávia Fairbanks reforça que a injeção anticoncepcional não fornece proteção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s). Por isso, é importante combinar a injeção com o uso da camisinha (feminina ou masculina) para a prevenção de diversas doenças.

Saiba mais: Pílula do dia seguinte: valor, como usar e nomes A injeção anticoncepcional é aplicada de forma intramuscular, ou seja, é aplicada nos músculos. Preferencialmente é aplicada nos glúteos ou nos braços e deve ser ministrada por um profissional da saúde habilitado.

Os tipos de anticoncepcionais injetáveis variam conforme a composição e o intervalo de tempo de cada aplicação. Composição A injeção anticoncepcional mensal é chamada de método contraceptivo injetável combinado, pois sua composição é à base de estrogênios e progesterona. Estrogênios são hormônios relacionados ao controle da ovulação, enquanto a progesterona é um hormônio feminino ligado ao equilíbrio da produção de óvulos e gravidez.

Periodicidade Como o próprio nome sugere, o anticoncepcional injetável mensal consiste em uma aplicação a cada 30 dias (uma vez por mês). Ciclo menstrual O ciclo menstrual de pacientes que utilizam este tipo de contraceptivo mensal é continuado, ou seja, a mulher menstrua normalmente.

Porém, a diferença é que a liberação de óvulos é cessada. Composição A injeção anticoncepcional trimestral é composta somente pelo hormônio feminino progesterona. Costuma ser recomendada a mulheres que apresentam patologias pelas quais não podem receber estrogênio, como doenças relacionadas à coagulação, cardiovasculares e tromboses.

Periodicidade Segundo o nome sugere, o anticoncepcional injetável trimestral consiste em uma aplicação a cada 90 dias (uma vez a cada três meses). Ciclo menstrual A menstruação é interrompida em mulheres que optam pela injeção anticoncepcional trimestral, fazendo com que a paciente fique em estado de amenorreia,

Reação ao estrogênio Sangramento genital de causa desconhecida Tumor ginecológico, como câncer de mama ou câncer de colo de útero Trombose Enxaqueca Endometriose

Gestantes e mulheres que estão amamentando devem evitar as composições com estrogênio (injeção anticoncepcional mensal), conforme ressalta Johnata Dacal. Saiba mais: Gravidez: sintomas, etapas e como engravidar rápido O método contraceptivo injetável é administrado e fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil.

  • Portanto, pacientes podem usufruir gratuitamente das injeções anticoncepcionais em postos de saúde.
  • Na rede privada, o preço da injeção anticoncepcional varia de acordo com o tipo de hormônio na composição.
  • Contudo, costumam custar de R$ 5 a R$ 35 por aplicação,
  • Segundo a ginecologista Luciana Nacano, não há uma injeção anticoncepcional ideal para todas as mulheres.

“O melhor método para o seu corpo deve ser discutido e decidido junto ao médico especialista, de acordo com suas necessidades e exames”, explica. Por isso, antes de optar pelo uso da injeção anticoncepcional, consulte seu(a) ginecologista, liste todos os remédios e suplementos que toma, aponte seu histórico médico, bem como alergias e reações a qualquer medicamento.

  • A injeção anticoncepcional é intramuscular, podendo ser aplicada no glúteo ou na parte superior do braço.
  • O ideal é que toda aplicação seja administrada por profissionais, como ginecologistas, enfermeiros ou farmacêuticos.
  • A maioria das soluções de anticoncepcional injetável disponíveis no mercado começam a ter eficácia completa cerca de 7 dias após a aplicação.

O ginecologista responsável por prescrever o uso da injeção é a pessoa mais indicada para que você tire dúvidas a respeito, a depender do seu caso. A principal vantagem da injeção anticoncepcional frente a outros métodos contraceptivos é sua aplicação com intervalo maior de tempo (30 ou 90 dias).

Para a médica Flávia Fairbanks, essa periodicidade é ótima para mulheres que têm uma vida corrida ou que são esquecidas. “Isso reduz a chance delas esquecerem de tomar o contraceptivo”, diz. A ginecologista comenta também que o anticoncepcional injetável não tem a chamada sobrecarga hepática. Afinal, sua aplicação é intramuscular e não por via oral.

Isso significa que é um método contraceptivo excelente para pacientes que não querem engravidar, mas que precisam preservar a saúde do fígado – seja por tomar outras medicações fortes ou por doenças associadas ao órgão. Assim como todo medicamento, a injeção anticoncepcional pode apresentar efeitos colaterais, tais como:

Sangramento entre os ciclos menstruais (chamado de ” spotting “) Redução da libido Maior retenção de líquidos Dor local devido à aplicação da injeção Amenorreia secundária (parada da menstruação, comum em quem opta pela injeção anticoncepcional trimestral) Dor de cabeça Náusea Tontura Cólica menstrual Dor nas mamas Oscilações de humor

De acordo com o ginecologista e obstetra Johnata Dacal, os efeitos colaterais costumam ser menos intensos quando comparados aos da pílula anticoncepcional, “São efeitos raros e dependentes de pessoa para pessoa”, afirma. Ao apresentar qualquer reação à injeção anticoncepcional, notifique e consulte o(a) ginecologista.

Saiba mais: Pré-natal: conheça os exames e quando fazê-los A injeção anticoncepcional Mesigyna é composta por enantato de noretisterona (composto sintético de progesterona) e valerato de estradiol (substância indicada para reposição hormonal de quem sofre de deficiência estrogênica). A aplicação é feita de forma intramuscular a cada três meses (trimestral) e o ideal é que seja realizada somente por profissionais de saúde.

Confira a bula completa de Mesigyna. A injeção anticoncepcional Perlutan é formada pelas substâncias algestona acetofenida e enantato de estradiol. Ou seja, progesterona e estrogênio, caracterizando a dosagem mensal. Sua aplicação é intramuscular (de preferência no glúteo ou braço) e realizada a cada 30 dias.

Recomenda-se a dose entre o 7º e 10º dia após o início da menstruação. Confira a bula completa de Perlutan. A Depo-provera (ou acetato de medroxiprogesterona) é uma injeção anticoncepcional trimestral, devendo ser aplicada a cada 90 dias de forma intramuscular no glúteo ou na parte superior do braço. Sua aplicação deve ser realizada até o 5º dia do ciclo menstrual ou até o 5º dia pós-parto, caso a paciente não esteja amamentando.

Se estiver amamentando, a mulher só poderá tomar a injeção a partir da sexta semana após o nascimento do bebê. Confira a bula completa de Depo-provera. A Cyclofemina é um anticoncepcional injetável com efeito combinado de dois hormônios femininos: o acetato de medroxiprogesterona (composto de progesterona) e cipionato de estradiol (estrogênio).

A aplicação é mensal e deve acontecer entre o 1º e 5º dia do ciclo menstrual, de forma intramuscular (glúteo ou braço). A injeção anticoncepcional Ciclovular é um contraceptivo mensal, composto pela combinação de algestona acetofenida e enantato de estradiol; ou seja, progesterona e estradiol. Deve ser aplicada entre o 7º e 10º dia do ciclo menstrual, com preferência no 8º dia.

O Uno-Ciclo é um anticoncepcional injetável de dose única mensal. É composto por progesterona e estrogênio (algestona acetofenida e enantato de estradiol). Assim como o Ciclovular, o Uno-Ciclo deve ser aplicado entre o 7º e 10º dia do ciclo menstrual, de preferência no 8º dia.

  1. Além das opções para mulheres, cientistas indianos desenvolveram o primeiro anticoncepcional masculino injetável: o anidrido maleico de Steryene,
  2. O contraceptivo promete eficácia de até 13 anos e é aplicado próximo aos testículos.
  3. A expectativa é que sua comercialização seja liberada em 2020.
  4. Em testes feitos em mais de 300 voluntários, não houve efeitos colaterais.

A injeção é ainda vista como uma alternativa para cirurgias como vasectomia (em homens) e laqueadura (em mulheres). Outra opção de contraceptivo injetável masculino tem sido desenvolvido por pesquisadores desde 2018. O Vasagel consiste em um gel aplicado por injeção que impede a passagem dos espermatozoides pela uretra.

  1. Para reverter o efeito e retomar a fertilidade, o homem pode consultar um urologista para aplicar uma substância capaz de dissolver o gel.
  2. Contudo, até o momento, o anticoncepcional só foi testado em animais.
  3. De acordo com a ginecologista Flávia Fairbanks, a injeção anticoncepcional trimestral pode causar aumento de peso, com uma média de ganho de até 5 kg durante 10 anos.

Já a injeção anticoncepcional mensal não tem reação relacionada ao ganho de peso comprovada cientificamente. Todo e qualquer método contraceptivo não apresenta 100% de eficácia. Contudo, a ginecologista Luciana Nacano aponta que a falha da injeção anticoncepcional, levando à possibilidade de engravidar, é inferior a 1%.

  1. Flávia Fairbanks complementa que “o risco de engravidar só é maior se a paciente atrasar a injeção, o que acaba acontecendo em alguns casos”.
  2. Portanto, para não engravidar, é preciso que a paciente siga à risca o período de eficácia da injeção (30 ou 90 dias), tomando uma nova dosagem ao final deste intervalo.

Isso varia conforme os hormônios que compõem a injeção. De maneira geral, se a primeira injeção tiver sido aplicada no primeiro dia do ciclo menstrual, cerca de uma semana depois da administração o efeito contraceptivo já foi alcançado e a paciente pode ter relação sexual.

  1. Porém, solicita-se o uso da camisinha, sem exceções, nos primeiros 15 dias após a aplicação, a fim de complementar a prevenção da gravidez.
  2. Vale reforçar que nenhum anticoncepcional injetável é capaz de evitar Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s),
  3. Portanto, a combinação desse método com a camisinha é altamente recomendada em todas as relações sexuais.

A chance do efeito da injeção anticoncepcional ser “cortado” é mínima. Flávia Fairbanks explica que uma das grandes vantagens desse método é que, como ele não atinge diretamente o fígado, a interação medicamentosa é muito pequena. Contudo, se você faz uso de antibióticos, antidepressivos ou qualquer outra medicação, informe seu ginecologista.

  1. Se a paciente atrasa a aplicação, há risco de ovulação.
  2. Portanto, não se indica o atraso em nenhuma circunstância.
  3. Procure respeitar o intervalo de 30 dias para injeção anticoncepcional mensal e 90 dias para injeção anticoncepcional trimestral.
  4. No caso da injeção anticoncepcional mensal, a partir do momento em que a paciente para de usar, o restauro da fertilidade é quase imediato – como se ela tivesse parado de usar uma cartela de pílula anticoncepcional, por exemplo.

Porém, para injeção anticoncepcional trimestral, pode haver um maior tempo para retorno da fertilidade. Como a menstruação é interrompida, há casos em que mulheres demoram de 8 meses até um ano para retomarem a ovulação de forma regular e terem chances de engravidar novamente.

Qual o anticoncepcional que ajuda a limpar a pele?

Qual o melhor anticoncepcional para pele oleosa e que não engorda? – Os anticoncepcionais combinados (que apresentam estrogênio e progesterona) melhoram o aspecto da pele na maioria das mulheres. Isso ocorre porque o anticoncepcional aumenta a produção de SHBG no fígado.

Porque a injeção de 3 meses engorda?

Injeção anticoncepcional engorda? A injeção anticoncepcional é uma boa opção para evitar a gravidez, principalmente para mulheres que não gostam ou não podem fazer uso diário de remédios contraceptivos por esquecimento ou por doenças. Mas, como qualquer método, possui efeitos colaterais e gera preocupação entre as pacientes que querem ou fazem uso do método.

A principal preocupação se dá em torno do ganho de peso e dificuldade de emagrecimento. Existem dois tipos de anticoncepcionais injetáveis: a injeção mensal, que combina estrogênio e progestágeno (molécula derivada da progesterona), e a injeção trimestral, que contém apenas um progestágeno na fórmula.

See also:  Vefa Ne Demek?

O progestágeno inibe a ovulação, dificulta o encontro do espermatozóide com o óvulo e torna o muco do colo do útero mais espesso. Já o estrogênio impede o crescimento de folículos nos ovários e estabiliza o endométrio, fazendo com que a ocorrência de ciclos menstruais seja mais previsível.

  1. Estudos realizados não comprovaram o aumento de peso pelos anticoncepcionais, mas um dos efeitos colaterais mais relatados pelas mulheres que usam anticoncepcional injetável é que, na prática, tomar anticoncepcional engorda.
  2. Isso se deve principalmente pelo acúmulo de líquido provocado pelo hormônio progestágeno que causa a sensação de inchaço no corpo.

Portanto, é possível que haja um ganho de peso por edema, mas isso não significa que a gordura corporal tenha aumentado. Ela está mais inchada – o que também favorece a formação da celulite. Vale ressaltar que não existe uma única resposta correta, pois cada organismo reage de forma diferente ao uso da pílula.

Qual é a reação da Cyclofemina?

Bula do Cyclofemina Na deficiência estrogênica.Tratamento dos sintomas do climatério, amenorréia, oligomenorréia e terapia de reposição hormonal (por exemplo, após ooforectomia). Contraindicação. Na deficiência estrogênica.Tratamento dos sintomas do climatério, amenorréia, oligomenorréia e terapia de reposição hormonal (por exemplo, após ooforectomia).

  • Hipersensibilidade a qualquer dos componentes.
  • Como usar o Cyclofemina

A dose recomendada para contracepção (supressão da ovulação) é de 150 mg de acetato de medroxiprogesterona (1 mL de 150 mg administrada por injeção intramuscular profunda nos músculos glúteo ou deltóide) em intervalos de 12 a 13 semanas, sendo no máximo a cada 13 semanas (91 dias).A suspensão intramuscular não foi formulada para ser administrada por injeção subcutânea.

  1. Precauções do Cyclofemina
  2. O uso de anticoncepcional hormonal requer cuidadosa supervisão médica na presença das condições descritas abaixo, as quais devem ser comunicadas ao médico antes de iniciar o uso de Cyclofemina.– epilepsia;– diabetes;– enxaqueca;– ocorrência ou história de depressão severa;
  3. – mulheres com mais de 35 anos de idade e que fumam mais de 15 cigarros por dia.

Os efeitos colaterais cardiovasculares dos anticoncepcionais aumentam com o uso de cigarros Se algum fato descrito acima ocorrer ou agravar quando se utiliza anticoncepcional pela primeira vez, consulte o seu médico. As mulheres fumantes que usam anticoncepcionais hormonais têm maior possibilidade de desenvolver coágulos sanguíneos e maior risco derrame cerebral (acidente vascular encefálico) ou ataque cardíaco.

Esses coágulos ocorrem particularmente nas pernas. As usuárias de anticoncepcionais hormonais que por doença ou cirurgia são submetidas a repouso prolongado, apresentam maiores risco de formarem coágulos sanguíneos e provavelmente maiores riscos que as não usuárias de desenvolverem doença da vesícula biliar.

As mulheres que usam anticoncepcionais hormonais por longos períodos podem, muito raramente, desenvolver tumor benigno de fígado. Até o presente momento não existe evidência confirmada que os anticoncepcionais hormonais aumentem o risco de câncer de órgãos do aparelho reprodutor.

Alguns estudos têm observado uma maior incidência de câncer do cérvix em usuárias de pílulas anticoncepcionais, entretanto o surgimento do câncer do cérvix pode estar ligado a outros fatores. Mulheres que possuem uma história familiar de câncer de mama ou apresentam nódulos de mama ou uma mamografia anormal, devem ser acompanhadas regularmente por um médico.

Existem relatos de reações alérgicas em usuárias de anticoncepcionais hormonais com progesterona. Essas reações ocorrem na pele. Reações alérgicas sérias requerem tratamento médico de emergência Precauções Cyclofemina não deve ser administrado durante a gestação ou se existe suspeita de gravidez.

  1. Não é recomendado o seu uso durante a amamentação, pois o estrogênio de Cyclofeminapode induzir a uma diminuição do leite materno.
  2. A administração dos anticoncepcionais hormonais, incluindo o Cyclofemina, não protege contra infecções por HIV (AIDS) ou outras doenças sexualmente transmissíveis.
  3. Gravidez e Lactação Cyclofemina não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez.

O uso de Cyclofemina não é recomendável para mulheres que estejam amamentando Interação com outros medicamentos. Alguns medicamentos quando utilizadas em conjunto com Cyclofemina, podem diminuir a sua eficácia contraceptiva ou provocar mudanças no padrão de sangramento.

Tais medicamentos incluem antibióticos contendo amoxacilina, ampicilina, ciclacilina, cloranfenicol, dapsona, doxiciclina, eritromicina, minociclina, oxacilina, oxitetraciclina, penicilina G, penicilina G procaína, penicilina V, rifampicina, tetraciclina, aminoglutathimide; medicamentos usados para tratar epilepsia como fenilbutazona; carbamazepina, fenitoína, fenobarbital, oxcarbazepina, primidona, topiramato e medicamentos fitoterápicos contendo Erva de São João (Hypericum perfuratum).

Se você utiliza ou irá utilizar algum medicamento que possa diminuir a efetividade contraceptiva de Cyclofemina, peça ao seu médico que lhe oriente quanto a utilização de um outro método contraceptivo não hormonal enquanto durar o tratamento. Efeitos na capacidade de dirigir veículos e utilizar máquinas.

Não se sabe se os contraceptivos combinados interferem na capacidade de dirigir ou operar máquinas. Este medicamento pode interromper a menstruação por período prolongado e/ou causar sangramentos intermenstruais severos. Este medicamento é contraindicado para mulheres que não estejam em idade fértil Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde. Reações Adversas do Cyclofemina Reações Adversas Algumas mulheres podem apresentar uma mudança no padrão de sangramento menstrual com o uso de Cyclofemina.

Podem ocorrer: diminuição ou aumento do período menstrual, um leve sangramento entre os períodos menstruais, sangramento frequente ou pequenos sangramentos durante todo o ciclo, antecipação ou atraso do ciclo menstrual e eventualmente pode ocorrer o desaparecimento dos sangramentos menstruais (amenorréia).

Tais alterações do padrão da menstruação não constituem qualquer problema de saúde e a maioria das mulheres volta a apresentar ciclos regulares com o uso continuado. Caso o padrão de sangramento continue alterado ou se o sangramento for intenso, procure ajuda médica.

  • As frequências dos efeitos adversos relatados são definidas a seguir:Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% das pacientes que utilizam este medicamento): Nos ciclos iniciais, como sangramento intermenstrual, alteração do padrão normal de sangramento.
  • Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% das pacientes que utilizam este medicamento): Amenorréias,náuseas, vômitos, cefaleia e alteração do peso corporal.
  • Reações muito raras (ocorrem em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento): Acne, hirsutismo, mastalgia, mastodinia, alterações metabólicas, hepatopatias e irritabilidade Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.
  • Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.
  • Composição do Cyclofemina
  • Cada ampola de 0,5 mL contém 25 mg de acetato de medroxiprogesterona e 5 mg de cipionato de estradiol Excipientes: propilparabeno, metilparabeno, cloreto de sódio, macrogol, polissorbato 80, água para injetáveis.
  • Superdosagem do Cyclofemina

Não foram reportadas até o momento casos de superdosagem com Cyclofemina.As superdoses de esteróides provocariam náuseas, vômitos e dor de cabeça. Pode ocorrer sangramento devido à sobrecarga hormonal e neste caso recomenda-se esperar que se estabeleça o ciclo menstrual normal.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações. Interação Medicamentosa do Cyclofemina A administração concomitante de aminoglutetimida com altas doses de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) pode diminuir significativamente os níveis séricos de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa).

As pacientes que usam altas doses de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) devem ser alertadas para a possibilidade de redução da eficácia com o uso de aminoglutetimida. O Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) é metabolizado in vitro primariamente por hidroxilação via CYP3A4.

  1. Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Provera.
  2. Ação da Substância Cyclofemina
  3. Resultados de Eficácia

Os agentes progestacionais têm sido utilizados para indução de sangramento por deprivação com sucesso em mulheres com oligomenorreia ou amenorreia secundária. O agente mais utilizado para esse propósito é o Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa).

Tratamentos curtos de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) via oral produzem sangramento por deprivação em 93% das mulheres amenorreicas.1 Em estudo prospectivo e randomizado, realizado em pacientes com sangramento uterino disfuncional, o Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) levou a cessação do sangramento em 76% das pacientes, com média de tempo para cessação de sangramento de 3 dias.2 Em estudo de revisão, os progestágenos orais, entre eles o Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa), demonstraram 87% de redução do sangramento uterino disfuncional.3 Em outro estudo em pacientes com sangramento uterino disfuncional, o uso de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) 10 mg em duas tomadas diárias demonstrou redução média de perda de sangue de 57,7% após 3 meses de uso.4 Na terapia hormonal em oposição aos efeitos endometriais do estrogênio em mulheres menopausadas não histerectomizadas, como complemento à terapia estrogênica, alguns estudos demonstram a eficácia do Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa).

Woodruff amp; Pickar, em nome do Grupo de Estudo da Menopausa, demonstraram que pacientes que usaram associação de acetato medroxiprogesterona e estrogênios conjugados tiveram incidência de hiperplasia endometrial significantemente menor que as mulheres tratadas com estrogênios conjugados isoladamente.5 Outro estudo, incluindo 596 pacientes menopausadas acompanhadas por 3 anos, demonstrou que a associação de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) continua ou cíclica ao estrogênio conjugado protegeu o endométrio de alterações hiperplásicas em relação à terapia estrogênica isolada.6 Referências 1.

  1. Battino S, Ben-Ami M, Geslevich Y, Weiner E, Shalev E.
  2. Factors associated with withdrawal bleeding after administration of oral dydrogesterone or medroxyprogesterone acetate in women with secondary amenorrhea.
  3. Gynecol Obstet Invest.1996;42:113–6.2.
  4. Munro MG, et al.
  5. Oral medroxyprogesterone acetate and combination oral contraceptives for acute uterine bleeding: a randomized controlled trial.

Obstet Gynecol.2006; 108(4):924-9.3. Matteson KA, et al. Non-surgical management of heavy menstrual bleeding: a systematic review. Obstet Gynecol.2013:121(3):632-43.4. Kriplani A, et al. Role of tranexamic acid in management of dysfunctional uterine bleeding in comparison with medroxyprogesterone acetate.

J Obstet Gynaecol 2006; 26(7):673-8.5. Woodruff JD, Pickar JH for the Menopause Study Group. Incidence of endometrial hyperplasia in postmenopausal women taking conjugated estrogens (Premarin) with medroxyprogesterone acetate or conjugated estrogens alone. Am J Obstet Gynecol 1994; 170(5):1213-23.6. The Writing Group for the PEPI Trial.

Effects of hormone replacement therapy on endometrial histology in postmenopausal women. The postmenopausal estrogen/progestin interventions (PEPI) trial. JAMA 1996; 275(5):370-5

  • Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Provera.
  • Características Farmacológicas
  • Propriedades Farmacodinâmicas
  • O Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) (acetato de 17a-hidroxi-6a-metilprogesterona) é um derivado da progesterona.
  • Mecanismo de Ação
  • O Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) é uma progestina sintética (estruturalmente relacionado ao hormônio progesterona endógeno) que demonstrou possuir várias ações farmacológicas sobre o sistema endócrino:
  • Inibição das gonadotrofinas pituitárias (FSH e LH);
  • Diminuição dos níveis sanguíneos de ACTH e de hidrocortisona;
  • Diminuição da testosterona circulante;
  • Diminuição dos níveis de estrogênio circulante (como resultado da inibição de FSH e indução enzimática de redutase hepática, resultando em aumento do clearance de testosterona e consequente redução de conversão de androgênios para estrogênios).
See also:  AuxLio Brasil Qual O Valor?

Todas essas ações resultam em um número de efeitos farmacológicos descritos abaixo: O Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) administrado oralmente ou parenteralmente em mulheres nas doses recomendadas com estrogênio endógeno adequado, transforma endométrio proliferativo em secretor.

  1. Efeitos androgênicos e anabólicos foram percebidos, mas o fármaco é aparentemente destituído de atividade estrogênica significativa, dados disponíveis indicam que isto não ocorre quando a dosagem oral geralmente recomendada é administrada como dose única diária.
  2. Estudos Clínicos Estudo Women’s Health Initiative Study – WHI O estudo WHI estrogênio equino conjugado (0,625 mg)/Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) (2,5 mg) incluiu 16.608 mulheres na pós-menopausa com idades entre 50-79 anos, com útero intacto na fase basal do estudo, para avaliar os riscos e benefícios da terapia combinada comparada com placebo na prevenção de certas doenças crônicas.

O objetivo principal foi a incidência de doenças coronárias (infarto do miocárdio não fatal e doença coronária fatal), com câncer de mama invasivo como o principal resultado adverso estudado. O estudo foi interrompido previamente após um acompanhamento médio de 5,2 anos (planejado para 8,5 anos) porque, de acordo com os procedimentos para interrupção, o risco aumentado de câncer de mama e eventos cardiovasculares excederam os benefícios especificados incluídos no “índice global”.

  • O tratamento com a associação estrogênio equino conjugado/Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) relatou uma redução significativa em fraturas osteoporóticas (23%) e totais (24%).
  • Estudo Million Women Study – (Million Women Study – MWS) O MWS foi um estudo coorte prospectivo que inscreveu 1.084.110 mulheres no Reino Unido com idades entre 50-64 anos das quais 828.923 com menopausa por tempo definido foram incluídas na análise principal de risco de câncer de mama em relação ao tratamento hormonal.

No total, 50% da população do estudo usou tratamento hormonal em algum momento. As pacientes com uso mais frequente de tratamento hormonal no início do estudo relataram o uso de preparações contendo estrogênio isolado (41%) ou associação de estrogênio/progesterona (50%).

  1. A duração média do acompanhamento foi de 2,6 anos para análises de incidência de câncer e 4,1 anos para análises de mortalidade.
  2. Estudo Heart and Estrogen/progestin Replacement – HERS Estudos HERS e HERS II foram dois estudos prospectivos de prevenção cardíaca secundária, randomizados sobre os efeitos em longo prazo de esquema contínuo oral combinado de estrogênio equino conjugado (0,625 mg)/Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) (2,5 mg) em mulheres na pós-menopausa com doença coronária.2.763 mulheres na pós-menopausa com idade média de 66,7 anos e com útero intacto foram inscritas neste estudo.

A duração média do acompanhamento foi de 4,1 anos para HERS e 2,7 anos adicionais (num total de 6,8 anos) para HERS II. Estudo Women’s Health Initiative Memory Study – WHIMS O estudo WHIMS, um subestudo do WHI, incluiu 4.532 mulheres predominantemente saudáveis e na pós- -menopausa com idades entre 65 a 79 anos para avaliar os efeitos de estrogênio equino conjugado (0,625 mg)/Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) (2,5 mg) ou estrogênio equino conjugado (0,625 mg) isolado sobre a incidência de demência provável comparada com placebo.

A duração média do acompanhamento foi de 4,05 anos para estrogênio equino conjugado/Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa). Propriedades Farmacocinéticas Absorção Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) oral é rapidamente absorvido com concentração máxima obtida entre 2 a 4 horas.

A meia-vida de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) oral é de aproximadamente 17 horas. Ele é 90% ligado às proteínas e é principalmente excretado na urina. Efeito dos Alimentos A administração com alimentos aumenta a biodisponibilidade do Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa).

A dose oral de 10 mg de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa), administrado imediatamente antes ou após uma refeição, aumentou a Concentração sérica máxima (Cmax) de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) (51 e 77%, respectivamente) e área sob a curva (ASC, 18 e 33%, respectivamente).

A meia-vida de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) não foi alterada com alimentos. Distribuição Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) é aproximadamente 90% ligado às proteínas, principalmente à albumina; nenhuma ligação de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) ocorre com hormônios sexuais ligados à globulina.

  1. A não ligação de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) modula respostas farmacológicas.
  2. Metabolismo Após doses orais, Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) é amplamente metabolizado no fígado via anel A e/ou por hidroxilação da cadeia lateral, com conjugação subsequente e eliminação na urina.

Pelo menos 16 metabólitos do Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) foram identificados. Em um estudo programado para avaliar o metabolismo do Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa), os resultados sugerem que o citocromo P450 3A4 humano está envolvido principalmente no metabolismo total do Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) nos microssomos do fígado humano.

Eliminação A maioria dos metabólitos do Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) é excretada na urina como glicuronídeos conjugados com somente uma pequena quantidade excretada como sulfatos. A dose percentual média excretada durante 24 horas na urina dos pacientes com fígado esteatótico como Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) intacto após uma dose de 10 mg ou 100 mg foi de 7,3% e 6,4%, respectivamente.

A meia- -vida de eliminação de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) oral é de 12 a 17 horas. Dados de Segurança Pré-Clínicos Carcinogênese, Mutagênese e Alterações da Fertilidade Administração intramuscular em longo-prazo de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) mostrou produzir tumores mamários em cães da raça beagle.

  1. Não há evidência de efeitos carcinogênicos associados com a administração oral de Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) em ratos e camundongos.
  2. O Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) não foi mutagênico numa série de ensaios de toxicidade genética in vitro ou in vivo,
  3. O Acetato de Medroxiprogesterona (substância ativa) em altas doses é um fármaco antifertilidade e poder-se-ia esperar que altas doses causassem alterações na fertilidade até a interrupção do tratamento.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Provera. Cuidados de Armazenamento do Cyclofemina Cyclofemina deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15º e 30º C). Número de lote, data de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido.

Guarde-o em sua embalagem original. Aspecto Físico Cyclofemina, após agitação da ampola, terá aspecto de um líquido branco leitoso. Características Organolépticas. Cyclofemina é um composto injetável inodoro. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observar alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças. Dizeres Legais do Cyclofemina DIZERES LEGAIS MS nº 1 0397 0071 Farmacêutico Responsável: José Luiz Abrahão Filho – CRF/RJ n⁰ 2844 Importado e embalado (embalagem secundária) por: Produtos Farmacêuticos Millet Roux Ltda Rua Eliseu Visconti, 5 – Rio de Janeiro – RJ Indústria brasileira – CNPJ: 33 388 182/0001-79 www milletroux com br SAC: 0800 0210809 – faleconosco@milletroux com br Fabricado por: Productos Científicos S A de C V, Laboratórios Carnot México, México, DF Venda sob prescrição médica Cód 03 05 XXX Esta bula foi notificada à Anvisa por ser passível de implementação imediata ou tratada nos termos da RDC 60/12 : Bula do Cyclofemina

O que causa Cyclofemina?

Podem ocorrer: –

Diminuição ou aumento do período menstrual, um leve sangramento entre os períodos menstruais, sangramento frequente ou pequenos sangramentos durante todo o ciclo, antecipação ou atraso do ciclo menstrual e eventualmente pode ocorrer o desaparecimento dos sangramentos menstruais (amenorréia). Tais alterações do padrão da menstruação não constituem qualquer problema de saúde e a maioria das mulheres volta a apresentar ciclos regulares com o uso continuado. Caso o padrão de sangramento continue alterado ou se o sangramento for intenso, procure ajuda médica.

É possível engravidar tomando injeção de 3 meses pela primeira vez?

Contando da data da primeira injeção não tomada: 23% a 35% das pessoas engravidam em 3 meses.52% a 59% das pessoas engravidam em 6 meses.77% a 82% das pessoas engravidam em 12 meses (10,14,15).

Quanto é seguro a injeção anticoncepcional?

Qual a eficácia da injeção anticoncepcional? – A injeção tem uma eficácia alta, com taxa de falha de 0,2 a cada 100 mulheres por ano.

Qual a desvantagem do anticoncepcional injetável?

Ainda que a pílula anticoncepcional seja eficaz para prevenir a gravidez, muitas mulheres simplesmente não se adaptam ao método ou não toleram seus efeitos colaterais. Hoje, existem alternativas que, além de serem igualmente eficazes, ainda trazem algumas vantagens.

  • Como, por exemplo, não precisar lembrar-se de tomar pílula diariamente.
  • Por outro lado, os anticoncepcionais não-orais – como anel vaginal e adesivo – agem liberando hormônios, como a pílula,
  • Por isso, eles não estão livres de alguns dos riscos conhecidos associados ao uso da pílula.
  • Uma pesquisa concluiu que os métodos não orais têm um risco 2,5 vezes maior do que a pílula de causar trombose venosa, doença potencialmente grave causada pela formação de coágulos nas veias.

É importante que você discuta com seu ginecologista os possíveis riscos e benefícios de cada método anticoncepcional para avaliar qual é melhor para você. Um bom ponto de partida é conhecer mais sobre alguns deles: Anel vaginal É um objeto de plástico flexível e transparente colocado na vagina. Pontos positivos do anel vaginal

É fácil de colocar e tirar; Você só precisa trocá-lo uma vez por mês; A eficácia não é afetada se você vomitar ou tiver diarreia; Pode reduzir o risco de câncer de ovário e colo de útero.

Pontos negativos do anel vaginal

Algumas mulheres podem não se sentir confortáveis para inseri-lo e removê-lo; Você pode ter efeitos colaterais temporários no início, incluindo corrimento vaginal aumentado, sangramento, dores de cabeça, náuseas, sensibilidade mamária e mudanças de humor.

Adesivo contraceptivo É um pequeno adesivo que você gruda na pele e que libera hormônios que inibem a ovulação. Pontos positivos do adesivo contraceptivo

Você só precisa trocá-lo uma vez por semana; A eficácia não é afetada se você vomitar ou tiver diarreia; Menstruação mais regular e com menor fluxo; Menos sintomas pré-menstruais.

Pontos negativos do adesivo contraceptivo

Pode causar irritação na pele; Você pode ter efeitos colaterais nos primeiros meses, como dores de cabeça, náuseas, sensibilidade mamária, sangramento e mudanças de humor.

Anticoncepcional injetável São injeções que contêm o hormônio progestogênio. Protegem da gravidez de oito a 13 semanas, dependendo do tipo de injeção. Pontos positivos do anticoncepcional injetável

Você não precisa se preocupar com contracepção enquanto durar a injeção; Você pode usá-lo se estiver amamentando; Não é afetado por outros medicamentos; Pode diminuir o fluxo menstrual e os sintomas pré-menstruais; É uma opção para quem não pode receber estrogênios.

Pontos negativos do anticoncepcional injetável

Pode causar irregularidades em seu ciclo menstrual; Pode afetar o peso; Pode demorar um ano para que sua menstruação e fertilidade voltem após parar a injeção; Pode causar efeitos colaterais, como perda de cabelo, diminuição da libido, alterações de humor e dores de cabeça.